GEOLOGY OF THE CLUGGER FLUORITE DEPOSIT. MATO PRETO. PARANÁ. BRAZIL

ROBERT E. JENKINS II

Resumo


Os depósitos de fluorita de Mato Preto situam-se no vale do Rio Ribeira, 80 km a NNE de Curitiba, Paraná. Consistem em três corpos de minério e numerosas ocorrências menores numa área de cerca de l5km2. Clugger, o maior dos depósitos, é do tipo substituição hidrotermal e preenchimento de fratura, em zona de contato brechada e cisalhada, entre carbonatito, nefelina- sienito, fonólito e tinguaíto do Complexo Igneo Cretácico-Paleocênico de Mato Preto. A fluorita ocorre como quatro lentes subparalelas e coalescentes de minério, as quais constituem envelopes ao redor de diques de fonólito-tinguaíto, com extensões superficiais de 250 m, espessuras acumuladas de até 80m e extensões verticais de pelo menos 120m. Os diques e as lentes têm direção N50-55E e mergulho acentuado para noroeste. Em brechas de eventos "pré e intermineralização", adjacentes aos diques , a fluorita substitui a matriz e forma veios intercruzados, respectivamente. A mineralização foi introduzida em pelo menos dois pulsos e está associada com barita-celestita, apatita, minerais de terras-raras e vários sulfetos. Manifestações explosivas tardias do sistema formaram pipes de brecha vulcânica, assim como brechas do tipo crackle breccía no minério original. A fluorita, ao longo dos planos de fratura. encontra-se recristalizada em pequenos veios monominerálicos. A minerallzação está associada a processo de epidotizaçâo controlada por fraturas e posterior à silicificação principal. O depósito Clugger foi provavelmente formado a baixas pressões e temperaturas, possivelmente no conduto de um vulcão atualmente erodido em Mato Preto.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.