Determinação do parâmetro de intersecção de fraturas para o Aqüífero Atuba

Lilian Chavez-Kus, Eduardo Salamuni

Resumo


Com base no modelo estrutural proposto por Chavez-Kus (2003) e Chavez-Kus & Salamuni (2008), σ1 está ou esteve orientado na direção N-S na região de Curitiba. Neste contexto, foram realizados os cálculos de intersecção de fraturas, conforme os procedimentos computacionais desenvolvidos por Kim (2004) e Kim et al. (2004) com os planos considerados mais favoráveis para explotação de água subterrânea, ou seja N45W a N45E. O resultado indica que o parâmetro de intersecção nos cruzamentos dos planos conjugados e fraturas híbridas coincidem com valores altos de capacidade específica e vazão dos poços tubulares profundos. As falhas de grande porte que controlam os principais limites entre os blocos estruturais do Complexo Atuba, no embasamento da Bacia de Curitiba, estão sempre presentes onde ocorrem valores de intersecção também altos. A coincidência maior pode ser vista no cruzamento da falha do Belém com as demais estruturas. As propriedades hidráulicas do meio geológico e a produtividade dos poços tubulares não devem ser diretamente inferidas usando como critério somente as áreas próximas ou ao redor dos lineamentos. Mapas de densidade de fraturas apresentaram baixa correspondência com a produtividade dos poços. Em termos de favorabilidade para água subterrânea, o parâmetro de intersecção das fraturas, calculado por meio da extensão Lineament Analysis, é o que melhor evidencia correlação com as variáveis hidrogeológicas. Os resultados obtidos mostram que há grandes chances de se obter sucesso ao apontar as áreas favoráveis à circulação de água subterrânea na região quando o cálculo é feito de acordo com a trama estrutural mais recente

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.