Mapeamento aero-geofísico de pegmatitos mineralizados na Província Pegmatítica de Alto Ligonha, no norte de Moçambique

Detlef G. Eberle, Elias X. F. Daudi, Elônio A. Muiuane, Alfredo M. Pontavida

Resumo


No passado recente, uma extensa parte do território de Moçambique, foi coberta de levantamento aéreo de dados magnéticos e radiométricos de alta densidade. Desde assim, um valor, tem sido a preocupação da Direção Nacional de Geologia fazer a interpretação dos dados, acrescentando, assim,um valor adicional nos mapas aerogeofísicos para o uso das companhias mineiras. A Direção Nacional de Geologia (DNG) e a Universidade Eduardo Mondlane (UEM) num esforço conjunto com o Conselho de Geociência da Africa do Sul (CGS) fizeram o presente estudo dos campos pegmatíticos de Alto Ligonha, norte de Moçambique, dentro do Cinturão de Namama da era Meso-Proterozóico, para apoiar o sector de mineração da região. A integração de dados aerogeofisicos foi alcançada usando o alogaritmo média k aplicando a classificação não supervisionada dos dados obtida. A amostragem e avaliando por meio da análise discriminante para ganhar um critério de susceptibilidade da classificação obtida... A amostragem das concentrações de eTh e eK (em ppm) mais os dados da suscepetibilidade magnética aparente e da derivada vertical, resultaram num mapa de 850.000 vetores multivariados e um determinado número de classes. Este mapa ilustra claramente que há maior probabilidade dos pegmatitos mineralizados ocorrer nos afloramentos de gneisses anfibolíticos. A integração automatizada dos dados aero-geofísicos usando o alogaritmo média k, provou ser um método rápido, direto e efetivo para compilação de mapa integrado com valor adicionado. A experiência adquirida com o estudo dos pegmatitos de Alto Ligonha encoraja a adoção desta nova metodologia para aplicar em outros locais do Cinturão de Moçambique. Assim, este método faria parte integrante do processo de mapeamento em Moçambique.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.