Análise de fraturamentos para determinação de áreas instáveis na faixa de dutos Osvat/Osplan - São Sebastião, em São Paulo

Cristiane Alessandra de Moura, Juércio Tavares de Mattos, Jairo Roberto Jiménez-Rueda

Resumo


O presente trabalho buscou caracterizar, na faixa de dutos Osvat/Osplan em São Sebastião, São Paulo, as feições geológicas que individualizam áreas com elevado grau de ruptilidade (fraturamento). Adotou-se, como sistemática de mapeamento, a análise de estruturas geológicas rúpteis (lineamentos estruturais e traços de juntas), por meio das técnicas de sensoriamento remoto orbital. Quando essas feições foram analisadas, pôde-se inferir sobre fatores como permeabilidade, infiltração e grau de cisalhamento da região, fatores esses que condicionam os processos erosivos e gravitacionais da área. Sobre o mapa de lineamentos estruturais, foram analisados os pontos de cruzamento de lineamentos de diferentes direções e foi feita a contagem da frequência desses pontos por unidade de área, possibilitando a modelagem estatística da distribuição espacial, gerando o mapa da densidade de cruzamentos de lineamentos estruturais, que permite determinar áreas com maior percolação de fluidos no maciço. Já no mapa de traços de juntas, realizou-se uma análise espacial para identificar as duas direções de maior frequência de juntas, de forma a estabelecer os máximos 1 e 2 e identificar as zonas de variação bruscas de direções dessas juntas. Nestas áreas onde ocorrem mudanças bruscas de direções de máximos de junta, ocorre intensa percolação de fluidos, responsável pela maior alterabilidade do complexo rocha/solo, facilitando a instalação de processos erosivos e gravitacionais, aumentando a instabilidade da área e, consequentemente, a vulnerabilidade da dutovia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z0375-75362012000300012

Apontamentos

  • Não há apontamentos.