Zona de sutura e organização do Orógeno Ribeira Setentrional

Mario Jorge Gesteira Fonseca, Julio Cesar Mendes, Zenaide Carvalho Gonçalves da Silva, Jorge Costa de Moura

Resumo


O Orógeno Ribeira Setentrional (Neoproterozoico/Cambriano), que se estende da Baía de Guanabara até o paralelo 20, engloba parte dos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo e é constituído de três zonas bem distintas. De noroeste a sudeste, a primeira é designada de Zonas Externas do Sudeste Mineiro, que exibem extenso embasamento, de rochas arqueanas e paleoproterozoicas, sobre o qual se encontram rochas metassedimentares brasilianas, dominantemente alóctones. A zona seguinte, designada de Zonas Internas, é limitada aos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo. Contém mais de 80% das rochas magmáticas brasilianas, tendo experimentado metamorfismo de tipo Abukuma, acompanhado por extensa anatexia, não constatada nas outras duas zonas, e é a mais importante zona do orógeno. As Zonas Externas do Sudeste Mineiro são separadas das Zonas Internas pela Zona de Sutura, que contém um conjunto de rochas metamáficas e metaultramáficas com 22 km de extensão, e que apresentam assinatura geoquímica de toleiítos de crosta oceânica. As Zonas Externas de Cabo Frio constituem a terceira zona e se situam na extremidade sudeste do Estado do Rio de Janeiro. São formadas por um embasamento paleoproterozoico, sobre o qual se encontram restos de rochas metassedimentares brasilianas. São destituídas de rochas magmáticas brasilianas, não tendo havido na região qualquer orogênese posterior à brasiliana. A geologia da região evidencia o desenrolar das últimas etapas do Ciclo de Wilson.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z0375-75362012000400012

Apontamentos

  • Não há apontamentos.