Geologia, petrografia e geoquímica do vulcanismo ácido da Província Magmática Paraná, na região de Piraju-Ourinhos, SE Brasil

Valdecir de Assis Janasi, Tarcísio José Montanheiro, Vivian Azor de Freitas, Pedro Morais Reis, Francisco de Assis Negri, Fernanda Amaral Dantas

Resumo


Uma sucessão de derrames de composição traquidacítica com espessura superior a 150 m constitui a base da Fm. Serra Geral em uma faixa de ca. 60 km ao longo da calha do rio Paranapanema, entre as cidades de Piraju e Ourinhos (SP). Os derrames mostram zonalidade bem marcada: a porção central é formada por dacitos porfiríticos cinza com baixa proporção de vidro e vesículas, que gradam, em direção aos contatos, para variedades vítreas fortemente vesiculadas que, em contato com arenitos basais da Fm. Botucatu ou com corpos maiores de arenitos inter-derrame, apresentam cor marrom-chocolate característica. A variação composicional observada é muito pequena, e em parte devida a efeitos secundários. De modo independente das texturas, forma de ocorrência e posição estratigráfica, as rochas apresentam teores similares de SiO2 (65-67%) e todos os demais óxidos maiores, caráter ferroso (mg#= 20-27) e metaluminoso (A/CNK= 0,85-0,95); a alteração associada ao preenchimento de vesículas e geração da cor chocolate se reflete na diminuição de mg# e aumento de A/CNK. Dados de química de minerais e de rocha indicam temperaturas liquidus elevadas, próximas a 1000ºC (termometria de piroxênios; saturação em apatita), consistente com modo de ocorrência predominante na forma de derrames.

Palavras-chave


Dacito; Fm. Serra Geral; Província Magmática Paraná; Química mineral; Temperaturas de magmas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.