Os lagos do lavrado de Boa Vista - Roraima: fisiografia, físico-química das águas, mineralogia e química dos sedimentos

Maria Ecilene Nunes da Silva Meneses, Marcondes Lima da Costa, José Augusto Vieira Costa

Resumo


A paisagem da porção nordeste do estado de Roraima é formada por uma superfície aplanada, vegetada por savanas, onde se desenvolvem inúmeros lagos, brejos e veredas colonizadas por Mauritia flexuosa. Estes lagos possuem formas variadas, entretanto, predominam as goticulares, circulares, elipsoidais e geminadas, estando geralmente relacionados aos pequenos cursos d’água (igarapés) constituindo suas cabeceiras. Suas  bacias lacustres são pequenas e rasas e o nível d’água é sazonalmente controlado, desse modo, no período de estiagem  vários lagos, brejos e veredas secam e estressam  gramíneas e elementos de Mauritia flexuosa. Esses lagos são colonizados por densas comunidades de macrófitas aquáticas principalmente por ciperáceas que podem ocupar toda a extensão do lago ou  apresentar uma distribuição zonada, circular e concêntrica  cercando uma zona central mais profunda, borbulhante, indicativo de olho d’água. Os lagos não apresentam sedimentos finos próprios, e o seu substrato é formado apenas por material arenoso, com grãos angulosos e subangulosos, de baixa esfericidade, constituídos essencialmente por quartzo com uma pequena participação de caulinita e goethita. A composição química é assim caracterizada pelos altos teores de SiO2 e baixos teores de Al2O3 e Fe2O3, correlacionáveis aos sedimentos da Formação Boa Vista. As feições lacustres externas e internas sugerem que a ocorrência destes lagos no ambiente plano das savanas está relacionada ao afloramento do lençol freático, que sazonalmente intercepta as depressões do terreno, ou aflora nas áreas planas da superfície, na forma de olhos d’água, dando origem aos lagos e brejos. No conjunto, a paisagem de lagos e veredas formada por campos abertos e verdes constitui-se um sistema impar no contexto dos cenários amazônicos, que devido à acelerada e desordenada expansão urbana da cidade de Boa Vista  vem sofrendo sérios impactos ambientais que incluem a extinção precoce de muitos lagos e brejos e o comprometimento da qualidade das águas lacustres através de práticas antrópicas tais como, a lavagem de roupas e o lançamento indiscriminado de efluentes domésticos em suas bacias.

Palavras-chave


Fisiografia dos lagos; Composição granulométrica, Mineralógica e química dos sedimentos; Origem dos lagos; Boa Vista - Roraima.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.