Petrologia magnética do granito anorogênico Bannach, terreno granitogreenstone de rio Maria, Pará

José de Arimatéia Costa de Almeida, Fabriciana Vieira Guimarães, Roberto Dall’Agnol

Resumo


O Granito Bannach, de idade paleoproterozóica, é intrusivo em rochas arqueana do Terreno Granito-Greenstone de Rio Maria, sendo constituído por três fácies: monzogranitos de granulação grossa com anfibólio, biotita e, por vezes, clinopiroxênio; monzogranitos à biotita com textura porfirítica e leucomonzogranitos com textura variada. Magnetita, ilmenita, hematita, pirita, calcopirita, esfalerita e goethita são os minerais opacos identificados no corpo. A análise textural dos minerais óxidos de Fe e Ti permitiu reconhecer cinco formas distintas de ilmenita: 1- lamelas de exsolução nos cristais de magnetita (ilmenita treliça); 2 - lamelas espessas e contínuas no interior da magnetita (ilmenita sanduíche); 3 - cristais bem desenvolvidos, encontrados no interior de cristais de magnetita (ilmenita composta interna) ou em porções externas (ilmenita composta externa); 4 – manchas irregulares dentro dos cristais de magnetita (ilmenita em manchas); 5 – cristais isolados (ilmenita individual). Feições texturais sugerem que titanomagnetita, ilmenita composta interna e externa foram originadas durante o estágio precoce da cristalização. A ilmenita foi desestabilizada e parcialmente substituída por titanita ainda no estágio magmático. Durante o estágio subsólidus, a titanomagnetita foi afetada por processo de exsolução-oxidação e deu origem a intercrescimentos de magnetita quase pura com ilmenita (ilmenita treliça, mancha e sanduíche). A martitização da magnetita e a oxidação da pirita, gerando goethita, ocorreram a baixas temperaturas. Os valores mais elevados suscetibilidade magnética (SM) estão relacionados às fácies portadoras de anfibólio + biotita ± clinopiroxênio e à fácies com porfirítica, as quais apresentam maiores conteúdos modais de opacos, anfibólio e total de máficos. As fácies leucograníticas apresentam menores valores de SM e de opacos. Há correlação positiva entre SM e Fe2O3, MgO, TiO2  e CaO e negativas entre SM e K2O e SiO2, refletindo a tendência decrescente de SM com a diminuição do conteúdo modal de máficos e o aumento de quartzo e feldspato potássico, ou seja, paralelamente à diferenciação magmática. Os altos valores de SM, o conteúdo significativo de magnetita e a assembléia magmática magnetita-titanita-quartzo demonstram que o Granito Bannach evoluiu em condições relativamente oxidante provavelmente próximas daquelas dos tampões NNO.

Palavras-chave


Suscetibilidade magnética; Magnetita; Ilmenita; Granito tipo A oxidado; Petrologia magnética.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.