GEOLOGIA, PETROGRAFIA E GEOQUÍMICA DO GRANITO ANOROGÊNICO BANNACH, TERRENO GRANITO-GREENSTONE DE RIO MARIA, PARÁ

JOSÉ DE ARIMATÉIA COSTA DE ALMEIDA, ROBERTO DALL’AGNOL, DAVIS CARVALHO DE OLIVEIRA

Resumo


O Granito Bannach é um batólito anorogênico intrusivo em unidades arqueanas do Terreno Granito-Greenstone de Rio Maria, sudeste do Cráton Amazônico. Ele é constituído por oito fácies petrográficas, todas monzograníticas: clinopiroxênio-biotita-anfibólio-monzogranito equigranular grosso, biotita-anfibólio-monzogranito equigranular grosso, anfibólio-biotitamonzogranito equigranular grosso, biotita-monzogranito porfirítico, leucomonzogranito equigranular grosso, leucomonzogranito equigranular médio precoce e tardio e leucomonzogranitos equigranular fino. A distribuição faciológica do corpo mostra que o maciço é zonado, com as fácies menos evoluídas ocupando as porções periféricas e as mais evoluídas as centrais. O Batólito Bannach é subalcalino, metaluminoso a peraluminoso, e possui altas razões FeOt/(FeOt+MgO) (0,86 a 0,97) e K2O/Na2O (1 a 2). As diferentes fácies apresentam fracionamento fraco a moderado de ETR pesados e revelam anomalias negativas de európio as quais aumentam das fácies menos evoluídas para as mais evoluídas. Ele mostra afinidades geoquímicas com granitos intraplaca, granitos tipo-A do subtipo A2 e granitos ferrosos.  As relações de campo e os aspectos petrográfícos e geoquímicos indicam que as diversas fácies do Granito Bannach evoluíram por cristalização fracionada, comandada pelo fracionamento de titanomagnetita + ilmenita + zircão + apatita + hornblenda ± clinopiroxênio e feldspatos, com um trend de diferenciação no sentido biotita-anfibólio-monzogranito equigranular grosso↔anfibólio-biotita-monzogranito equigranular grosso↔biotita-monzogranito porfirítico_leucomonzogranito equigranular grosso↔leucomonzogranito equigranular médio precoce↔leucomonzogranitos equigranular fino. O leucomonzogranito equigranular médio tardio representaria uma intrusão separada, formada de um líquido muito evoluído e independente daquele formador das demais fácies. Os dados geoquímicos revelam que o líquido formador da fácies biotita-anfibólio-monzogranito equigranular grosso não poderia ter derivado do clinopiroxênio-biotita-anfibólio-monzogranito por processos de cristalização fracionada. O clinopiroxênio-biotita-anfibólio-monzogranito possui uma evolução magmática particular, com participação de processos cumuláticos. As características do Granito Bannach justificam enquadrá-lo na Suíte Jamon, uma vez que ele apresenta notáveis similaridades com os corpos Jamon, Musa e Redenção, que compõem a mesma.

Palavras-chave


Cráton Amazônico; Anorogênico; Granitos tipo-A; Paleoproterozóico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.