ARENITOS FLÚVIO-EÓLICOS DA PORÇÃO SUPERIOR DA FORMAÇÃO PIRAMBÓIA NO CENTRO-LESTE PAULISTA

MARIA RITA CAETANO-CHANG, FU TAI WU

Resumo


Corpos de arenitos grossos e conglomeráticos, com formas e espessuras variadas, foram descritos, entre duas e três décadas atrás, como depósitos de origem fluvial, e posicionados próximo à base da Formação Botucatu. Estes arenitos, mais recentemente considerados como pertencentes à porção superior da Formação Pirambóia, são aqui caracterizados quanto à composição faciológica, com base na descrição de excelentes afloramentos nas proximidades de Itirapina, Descalvado e São Pedro, na região centro-leste paulista. A descrição dos perfis sedimentológicos mostra uma sucessão de arenitos geralmente mal selecionados, com granulometria variando de muito fina a muito grossa, com níveis conglomeráticos, exibindo estratificações cruzadas acanaladas, geralmente de médio porte. Tais arenitos foram também analisados por meio de microscopia ótica, tendo sido classificados como quartzarenitos, dominantemente. As relações laterais e verticais destes depósitos revelam interessante interação flúvio-eólica, restrita à porção superior da Formação Pirambóia na área.  São aqui formalmente denominados Arenitos Itirapina, constituindo depósitos resultantes do estabelecimento de leques aluviais em áreas próximas da borda leste da bacia, ao final da sedimentação Pirambóia.  Neste contexto, depósitos fluviais de canais entrelaçados são continuamente retrabalhados pelo vento, que interpõe depósitos eólicos de dunas, interdunas e lençóis de areia aos fluviais.


Palavras-chave


Arenitos flúvio-eólicos; Deposição flúvio-eólica; Triássico da Bacia do Paraná; Formação Pirambóia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.