GEOMORFOLOGIA DA PLATAFORMA CONTINENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

LUIS AMÉRICO CONTI, VALDENIR VERONESE FURTADO

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo a análise geomorfológica da região de Plataforma Continental do Estado de São Paulo, mais especificamente a área que compreende a porção centro-norte do Embaimento de Santos (de Cananéia a Ilha Grande).  Foram elaborados modelos digitais de terreno (MDTs) da plataforma continental a partir da digitalização de 65260 pontos cotados obtidos através de folhas de bordo da Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN) a partir dos quais foi elaborado uma grade batimétrica com precisão de 200 metros. O Modelo  Digital de Terreno foi, então, submetido a uma série de modelagens objetivando a identificação e caracterização de feições morfo-sedimentares associadas ao regime de variação do nível do mar e processos atuais, como análises de superfície de tendência, declividades e orientação do relevo e extração de paleo-drenagens. Foram realizadas, também, correlações, em ambientes de Sistema de Informações Geográficas (SIGs), das informações morfológicas com a distribuição de sedimentos superficiais. Foi possível identificar e analisar uma série de feições morfo-sedimentares como faixas de declives associadas a antigos níveis de estabilização do nível do mar, sistemas de paleo-vales bem conectados com desembocaduras atuais dos principais rios da costa do estado de São Paulo, zonas de anomalias sedimentares e topográficas associadas a áreas de maior erosão ou deposição e zonas de altos teores de carbonatos, que associadas a mudanças na rede de paleo-vales, indicam o posicionamento da faixa do Último Máximo Regressivo (UMR) assim como sua posterior evolução.


Palavras-chave


Plataforma continental; Sedimentação quaternária; Modelos digitais de terreno; SIG.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.