PETROGRAFIA E GEOQUÍMICA DOS DIQUERS FÉLSICOS E MÁFICOS ASSOCIADOS AO BATÓLITO PELOTAS NA REGIÃO DE PIRATINI, RS

CELÍ ZANON, RÔMULO MACHADO, RUY PAULO PHILIPP

Resumo


Estudos petrográficos efetuados em diques félsicos e máficos da região de Piratini, RS, mostram a existência de texturas porfirítica, glomeroporfirítica a esferulítica (félsicos), em matriz afanítica ou muito fina, e ofítica a sub-ofítica com intercrescimento mirmequítico (máficos). Estes corpos, com orientação dominante NW-SE e N-S, encontram-se encaixados em rochas graníticas do Batólito Pelotas. Os diques máficos possuem afinidade geoquímica alcalina e os félsicos, sub-alcalinas. Os primeiros são fortemente metaluminosos, com índice de saturação em alumina (A/CNK) entre 0,60 a 0,65, e os últimos são fracamente metaluminosos a levemente peraluminosos, com A/CNK entre 0,75 e 1,2. Os diques máficos apresentam teores em Si02 entre 44 a 48 % e os diques félsicos, entre 67 e 75 %. Os diques máficos apresentam teores mais elevados em Ti, Mg, Ca, Fe, Mn e P. O comportamento de elementos maiores e traço (Ti, Fe, Mn, P, Zr, Sr e, em menor importância, Ca e Mg) reflete o fracionamento de minerais ferromagnesianos e plagioclásio no magma gerador. Em diagramas com razões de elementos traço (Nb/Ta e U/Th) evidenciam-se efeitos de contaminação crustal dos magmas que deram original aos diques. Os ETR(n) mostram padrões próximos da horizontalidade para os ETR pesados, com razoes Tb/Lu(n) para os diques máficos entre 1,5 a 2,7 (diques félsicos: entre 1,6 a 2,5) e valores de Lu em torno de 0,3 a 0,6 ppm (diques félsicos: entre 18 e 41 ppm). Os ETR leves mostram-se enriquecidos nos diques félsicos, com teores de La entre 73 a 155 ppm (contra 18 e 41 ppm) e razões La/Sm entre 3,5 a 5,0.


Palavras-chave


Batólito Pelotas; Diques máficos e félsicos; Petrografia; Geoquímica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.