MAGMATISMO ÁCIDO-BÁSICO NA ILHA DO ARVOREDO - SC

EDSON RAMOS TOMAZZOLI, EVANDRO FERNANDES DE LIMA

Resumo


A Ilha do Arvoredo é constituída dominantemente por rochas graníticas alcalinas (Granito Arvoredo), secionadas por enxame de diques de andesito basáltico, com espessuras variadas e direção predominante N10°-20°E. Esses diques são integrantes do Enxame de Diques Florianópolis, tendo em vista que determinações isotópicas 40Ar/39Ar indicaram idades cretáceas (Tomazzoli et al., 2005). Esses estão associados riodacitos e dacitos, que podem formar diques simples ou corpos hipabissais de geometria não bem definida, ou ainda diques compostos, com bordas de andesito basáltico e centro de riodacito. Além das feições de diques compostos, enclaves e microenclaves arredondados de andesito basáltico em riodadacito, indicam um processo de mistura entre os magmas formadores desses dois litotipos. Tanto os andesitos basálticos como os riodacitos têm afinidades toleíticas de alto K, com grande enriquecimento em Ti, P e elementos-traço incompatíveis. Modelamento geoquímico mostrou que os riodacitos podem ter sido derivados dos andesitos basálticos por 61% de cristalização fracionada dos minerais andesina (45,1%), edenita (16,5%), augita (18,7%), magnetita (9,8%) e ilmenita (6,8%). A geometria dos diques compostos indica que a mistura magmática, entre os termos riodaciticos e andesiticos basálticos, teria operado após o fracionamento. Diques de riolito e veios aplíticos são geoquimicamente diferenciados dos riodacitos toleíticos e mostram-se correlacionáveis ao Granito Arvoredo.


Palavras-chave


Ilha do Arvoredo; Enxame de Diques Florianópolis; Petrologia; Toleítos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.