ALTERAÇÃO HIDROTERMAL DAS ROCHAS MÁFICAS DO ALVO ESTRELA (Cu-Au), SERRA DOS CARAJÁS, PARÁ

ANDRÉ FLECK, ZARA GERHARDT LINDENMAYER, FERNANDO DE CASTRO PAULA

Resumo


As rochas hospedeiras do Alvo Estrela (Cu-Au), na região da Serra dos Carajás, são andesitos e gabros pertencentes ao Grupo Grão Pará, do Supergrupo Itacaiúnas, formados a 2,7Ga. As rochas do alvo correspondem a uma seqüência de 400-600m de espessura de andesitos e gabros. Texturas ígneas reliquiares do tipo ofitica e subofítica ainda estão preservadas. A origem do gabro e do andesito está possivelmente relacionada a arcos magmáticos, como sugere a razão Se/Ti do gabro 0,02-2,28 x 10-3 e 3,25 x 10-3_ 1,67 X 10-3 do andesito. Os andesitos apresentam maiores conteúdos de ETR (LETR = 90,50 a 471,67 ppm) do que os gabros (LREE = 43,76 a 230,57 ppm), o que pode refletir o conteúdo ígneo original ou um estágio avançado de alteração. As rochas hospedeiras do Alvo Estrela Cu-Au foram afetadas por uma alteração sódico-cálcica inicial seguida por uma alteração potássica, acompanhada de ferrificação e sulfetação, que transformou os protólitos ígneos em rochas ricas em biotita. A alteração sódico-cálcica inicial é representada por hastingsita, Fe-pargasita, Fe-hornblenda, oligoclásio-andesina, albita, quartzo, magnetita e menores quantidades de Fe e Mg-biotitas, Fe-epidoto e clorita. A alteração potássica se sobrepõe à alteração sódico-cálcica sendo composta de siderofilita, biotitas, Fe-epidoto, fluorita, minerais radioativos, quartzo, chamosita, dravita, schorlita, magnetita, calcopirita, pirita, pirrotita, molibdenita e menores quantidades de bornita. O estágio de alteração tardio é representado por greisenização desenvolvida em zonas específicas, principalmente no andesito. A assembléia do greisen é constituída de quartzo, zinnwaldita, Li-muscovita, dravita-schorlita, fluorita, topázio, titanita, F-apatita e clorita. O último estágio de alteração pós-data tanto a mineralização como a greisenização. É marcado por fases de baixa temperatura, como chamosita, topázio, quartzo e turmalina. Esta seqüência de alteração sugere que fluidos quentes responsáveis pela alteração potássica e albitização eram oxidados e alcalinos apresentando altas atividades de K e CI adicionadas a alta razão Na/Ca. Durante o resfriamento é provável que tenha havido uma diminuição na razão Na/Ca, acompanhada de um aumento na atividade de F, como evidenciado pela maciça presença de fluorita. Durante o estágio de greisenização o fluido se tornou reduzido e ácido, permitindo a estabilização de Li-muscovitas e as demais fases presentes no greisen.

 


Palavras-chave


Depósito de Cu-Au; Alvo Estrela; Serra dos Carajás.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.