CICLOESTRATIGRAFIA DO EOPERMIANO - ESTUDO DE CASO NO GRUPO ITARARÉ, BACIA DO PARANÁ (PARTE 1): UMA METODOLOGIA PARA PREPARAÇÃO DE DADOS DE PERFIL E ROCHA

JOSÉ GUILHERME RODRIGUES DA SILVA, NILO CHAGAS DE AZAMBUJA FILHO

Resumo


Este trabalho apresenta uma metodologia de preparacao de dados para analise cicloestratigrafica, Foram utilizados testemunhos e perfis de raios gama de dois poços que amostraram rochas do Grupo Itarare, Eopermiano da Bacia do Parana, originalmente depositadas em ambiente glacial, periglacial e marinho. Os poços, um em Santa Catarina (7-RL-04-SC) e outro no Rio Grande do Sui (IB-93-RS), foram perfurados pela CPRM para pesquisa de carvão mineral e a distancia entre eles (cerca de 380 km) possibilitou testar, posteriormente (Cicloestratigrafia do Eopermiano - Estudo de caso no Grupo Itarare, Bacia do Parana (Parte II), nesta mesma edição), a influencia da indução astronômica em localidades distintas da bacia. Dois métodos de amostragem foram utilizados, de acordo com a escala dos dados e com a possível indução-os perfis de raios gama foram digitalizados e amostrados em intervalos de 1 em, para testar a presença dos ciclos orbitais na escala de 20 mil a 400 mil anos, ou outros fenômenos indutores na escala de 3 mil a 10 mil anos, e os testemunhos foram escaneados nos intervalos com ritmitos e transformados em dados em escala de cinza equiespacados (0,2538 mm), objetivando a busca por ciclos anuais a milenares. A preparação dos dados dos testemunhos para a digitalização no scanner necessitou de um tratamento minucioso de eliminação, nas imagens, de pequenas fraturas e estruturas sedimentares, tais como ripples, para que as mesmas não comprometessem 0 resultado final.

 


Palavras-chave


Cicloestratigrafia; Grupo Itararé; Eopermiano.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.