O GRUPO SANTA BÁRBARA (EDIACARANO) NA SUB-BACIA CAMAQUÃ CENTRAL, RS: ESTRATIGRAFIA E SISTEMAS DEPOSICIONAIS

GELSON LUÍS FAMBRINI, LILIANE JANIKIAN, RENATO PAES DE ALMEIDA, ANTONIO ROMALINO S. FRAGOSO-CESAR

Resumo


As exposições do Grupo Santa Bárbara (Ediacarano) na Sub-Bacia Camaquã Central são representadas por uma sucessão de depósitos arenosos e rítmicos marinhos/transicionais e depósitos conglomeráticos de leques aluviais, que compõem ciclos progradacionais-retrogradacionais. Nesta sub-bacia, o Grupo Santa Bárbara apresenta mais de 2000 m de espessura, com excelentes exposições nas regiões das Minas do Camaquã e de Bom Jardim. Estudos estratigráficos de paleoambientes, paleocorrentes e de proveniência realizados nestas regiões possibilitaram a seguinte subdivisão do Grupo Santa Bárbara na Sub-Bacia Camaquã Central, a partir da base: (i) Formação Passo da Capela: unidade areno-siltítica subdividida em turbiditos de franjas externas de leque submarino (Outer-fan), e turbiditos de franjas internas a externas de leque submarino (Inner-Fan a Outer-fan); (ii) Formação Seival: tempestitos de costa-afora e depósitos litorâneos e de planície de marés; (iii) Formação Rincão do Mouras: unidade conglomerática formada por depósitos de leques aluviais e de riops entrelaçados e (iv) Formação João Dias: composta por depósitos itorâneos de antepraia e de face litorânea e de tempestitos de face litorânea. Estes estudos permitiram ainda o reconhecimento de uma notável correlação entre as unidades encontradas nestas regiões legitimando, desta forma, a proposta de englobar os depósitos da região das Minas do Camaquã, classicamente relacionadas à Formação Arroio dos Nobres, no redefinido Grupo Santa Bárbara.


Palavras-chave


Grupo Santa Bárbara; Bacia do Camaquã; Estratigrafia; Análise de fácies; Ediacarano.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.