COMPARTIMENTAÇÃO ESTRUTURAL DAS FORMAÇÕES PIRAMBÓIA E BOTUCATU NA REGIÃO DE SÃO JERÔNIMO DA SERRA, ESTADO DO PARANÁ

MICHAEL STRUGALE, SIDNEI PIRES ROSTIROLLA, FERNANDO MANCINI, CARLOS VIEIRA PORTELA FILHO

Resumo


Este trabalho apresenta a descrição e interpretação do registro estrutural das formações Pirambóia e Botucatu (Mesozóico – Grupo São Bento) numa porção do flanco SE da Bacia do Paraná, região de São Jerônimo da Serra (Centro-norte do Estado do Paraná). Essa sucessão estratigráfica compreende quartzo-arenitos porosos, com conglomerados e siltitos subordinados, de ambiente deposicional predominantemente eólico. Estas rochas fazem parte do Sistema Aquífero Guarani, situando-se dentro de uma das áreas de recarga deste, além de constituírem potenciais reservatórios de hidrocarbonetos. A área está contida no flanco nordeste do Arco de Ponta Grossa, mais especificamente no Alinhamento São Jerônimo-Curiúva, marcado por uma notável concentração de diques de diabásio e falhas associadas, com direção média N45W. Os métodos empregados de levantamentos de campo, fotointerpretação, análise estrutural e de modelos digitais de terreno. A principal estruturação é dada por um sistema conjugado de fraturas: 1) falhas normais e sinistrais orientadas no intervalo N35-80W, onde se associam bandas de deformação e zonas com maior concentração de fotolineamentos e diques; 2) falhas dextrais orientadas N50E, de menor expressão em campo e aerofotografia. Foram ainda observadas fraturas E-W e N-S, que em conjunto com as fraturas N35-80W e N50E promovem uma importante compartimentação das rochas do Aquíferos Guarani, além de terem influenciado na migração de hidrocarbonetos na Bacia do Paraná durante o Eo-Cretáceo.


Palavras-chave


Bacia do Paraná; Geolgia estrutual; Reservatório.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.