INTEGRAÇÃO DE PARÂMETROS FÍSICOS DO MAGMA E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS MINERAIS NA PETROGÊNESE DO GRANITO ITAPEMA, SC

CRISTIANE BUTORI RIVERA, MARIA DE FÁTIMA BITTENCOURT, LAURO VALENTIM STOLL NARDI

Resumo


O Granito Itapema, localizado no Escudo Catarinense, é  intrusivo em gneisses paleoproterozóicos do Complexo Camboriú, possui idade U-Pb de 2021 ± 14 Ma, e seu posicionamento é tardio em relação à tectônica tangencial da região. A intrusão compreende hornblenda-biotita granodioritos a biotita monzogranitos, onde foram identificadas duas fácies principais: fácies heterogranular e fácies equigranular fina a média. O granito possui uma foliação magmática bem desenvolvida e abundantes xenólitos e autólitos. Os autólitos são formados predominantemente por anfibólio e plagioclásio de caráter cumulático. A pressão litostática durante a cristalização magmática foi estimada em 4-4,5 kbar, com base no teor de Al na hornblenda e na presença de epidoto magmático. A temperatura próxima da curva liquidus, determinada com base na solubilidade do zircônio, é de 800°C, e a temperatura próxima da curva solidus,determinada pelo par hornblenda-plagioclásio, é de 700°C. A temperatura de geração de subgrãos em padrão tabuleiro de xadrez no quartzo foi estimada em 665° e 690°C, para pressões de 3,84 e 4,7kbar, respectivamente. A viscosidade natural dos líquidos magmáticos foi estimada em 104 a 105 Pa.s. Três domínios reológicos são supostos durante a cristalização magmática: domínio sólido, domínio pasta e domínio líquido. Estes domínios se refletem nos principais tipos litológicos reconhecidos no Granito Ipanema, que são: autólitos e xenólitos, fácies heterogranular e fácies equigranular fina a media. A variação litológica do Granito Itapema é controlada principalmente por segregação e fracionamento mineral causado pelo fluxo magmático.


Palavras-chave


Petrogênese de granitóides; Química mineral; Reologia de sistemas graníticos; Fluxo magmático.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.