PROSPECÇÃO DE ROCHAS ORNAMENTAIS AUXILIADA POR SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEO-REFERENCIADA

JOSÉ CARLOS SÍCOLI SEOANE, LILIANA SAYURI OSAKO, ADEJARDO FRANCISCO DA SILVA FILHO

Resumo


Rochas ornamentais são hoje no Brasil consideradas uma commodity com valor atrativo, gerando exportações estimadas em US$ 355 milhões em 2002. Neste contexto, o Governo Federal tem por objetivo atingir a meta de US$ 600 milhões exportados por ano em quatro anos. Para manter, repor e ampliar o estoque destes bens será necessária a aplicação de técnicas exploratórias e de prospecção avançadas. O uso de Sistema de informações Geo-referenciadas (SIG) pode auxiliar os processos de descoberta tanto diminuindo os prazos e custos quanto revelando novos relacionamentos entre dados previamente coletados e dados novos. Foi utilizado um processo constituído de três etapas: processamento digital (geração de imagens, correções geométricas, mosaicagem e filtragens), geração de banco de dados (digitalização, compilação de dados e geração de mapas temáticos) e modelagem e avaliação do potencial com auxílio de SIG. Foi implementado o Índice de Atratividade Econômico-Geológica (IAEG), que leva em consideração aspectos de campo, características de testes de laboratório e de mercado das rochas ornamentais. A cartografia geológica foi auxiliada pela utilização de imagem Landsat TM-5 e aerogamaespectrometria, excelentes ferramentas para discriminação de diferentes litologias, enquanto que imagens de radar foram utilizadas principalmente para caracterizar os domínios estruturais, contatos litológicos e lineamentos correspondentes a estruturas rúpteis e dúcteis. As combinações de bandas que melhor discriminam estes aspectos são R4-G3-B1, R7-G4-B1, R5-G4-B3 e (R) 5-7 (G) 4-3 (B) 3-1. Quanto à gamaespectrometria, foram utilizados contagem total, equivalente Tório, equivalente Urânio, razão Tório-Urânio, mapa ternário K-Th-U e composição ternária K-K/U-K/Th. A integração dos dados permitiu a extrapolação do IAEG à porção oeste da área e a comparação das implementações analógica e digital da metodologia, destacando as vantagens do meio digital. Boa correlação foi obtida entre a generalização de ocorrências e depósitos conhecidos implementada com o uso do IAEG e as áreas selecionadas pela integração e modelagem de dados em SIG. Foram estabelecidos três níveis de prioridade para verificação de campo de cinco anomalias selecionadas. Duas áreas entre as localidades de Ingá e Caiçara e Cachoeira e Maravilha foram escolhidas como de primeira prioridade; uma anomalia regional entre Bom Nome e Rio da Barra constituem a segunda prioridade para trabalhos posteriores de campo e duas áreas de menor importância próximas à localidade de Queimada Nova formam a terceira prioridade. Estas cinco áreas, na região de Custódia, não possuem trabalhos prévios, abrindo portanto novas perspectivas para a exploração de rochas ornamentais nos terrenos semi-áridos do Estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.