ANÁLISE DAS MUDANÇAS MORFOLÓGICAS COSTEIRAS DE MÉDIO PERÍODO NA MARGEM LESTE DA ILHA DE MARAJÓ (PA) EM IMAGEM LANDSAT

CARMENA FERREIRA DE FRANÇA, PEDRO WALFIR MARTINS E SOUZA FILHO

Resumo


O estudo multitemporal das imagens de satélite Landsat mostrou que, durante os últimos 15 anos, a costa leste da Ilha de Marajóas esteve sujeita predominantemente a processos de recuo da linha de costa. As áreas retrogradacionais variaram de 0,89 km2 (1986/1995) para 0,381 km2 (1995/1999) e 0,751 km2 (1999/2001), enquanto que as áreas progradacionais totalizaram 0,214 km2(1986/1995), 0,321 km2 (1995/1999) e 0,086 km2 (1999/2001). As variações costeiras relacionadas à acreção da linha de costa estiveram associadas ao desenvolvimento de manguezais e praias-barreiras, enquanto que as relacionadas à erosão apresentaram formações de terraços lamosos, falésias costeiras e migração de depósitos de duna-praia sobre manguezais. A aplicação do sensoriamento remoto e SIG, nos estudos das mudanças costeiras de médio período, constituiu uma das mais importantes técnicas para registrar, monitorar,mapear e comparar áreas em diferentes locais, sujeitas a recuo e acreção da linha de consta, nas últimas décadas.


Palavras-chave


Sensoriamento remoto; Mudanças costeiras; Manguezais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.