SINERGISMO ENTRE DADOS ÓPTICOS E DE RADAR NO ESTUDO GEOLÓGICO DA REGIÃO DE BEZERRA-CABECEIRAS, GOIÁS

JOSELISA M. CHAVES, EDSON E. SANO, EDI M. GUIMARÃES, ARDEMÍRIO B. SILVA, PAULO R. MENESES

Resumo


As imagens ópticas fornecem informações espectrais relacionadas à composição química dos alvos, enquanto as imagens de radar de abertura sintética (SAR – Synthetic Aperture Radar) apresentam informações relativas à geometria e propriedades elétricas dos alvos. Por combinar dados espectrais complementares, o sinergismo entre esses dois tipos de dados tende a melhorar o potencial do sensoriamento remoto para mapeamento geológico e outros tipos de mapeamentos. Nesse estudo, o sinergismo dos seguintes dados aerotransportados e orbitais foi avaliado para mapeamento geológico da região de Bezerra-Cabeceiras, GO: uma imagem de SAR, escaneada do GEMS-1/Radambrasil (banda X); duas imagens do RADARSAT (banda C), com ângulos de incidência e direções de visada distintos; uma imagem do JERS-1 (banda L); e uma imagem óptica do Landsat 5-TM, bandas 1, 2, 3, 4, 5 e 7. As seguintes técnicas de realce e integração de imagens digitais foram analisadas: componentes principais, decorrelação, contraste linear e composição colorida por IHS. Os principais resultados desse estudo foram a obtenção de uma composição colorida integrada por IHS com excelente qualidade visual para discriminação de unidades geológicas e realce de estruturas geológicas e a redução da interferência do uso da terra (agricultura e pecuária) nas imagens relativamente recentes do Landsat 5-TM. Essa qualidade pôde ser comprovada através da análise de erros de comissão e omissão, além da acurácia.


Palavras-chave


Sinergismo; Mapeamento geológico; IHS; RADAMBRASIL GEMS; RADARSAT-1 STANDARD; JERS-1 SAR; LANDSAT TM.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.