AVALIAÇÃO DA ESTEREOSCOPIA SAR (STANDART-RADARSAT-1) E HÍBRIDA (STANDART-RADARSAT-1 & TM-LANDSAT-5) EM MAPEAMENTO GEOLÓGICO NA PROVÍNCIA MINERAL DE CARAJÁS

ATHOS RIBEIRO DOS SANTOS, WALDIR RENATO PARADELLA, PAULO VENEZIANI

Resumo


Este artigo discute os aspectos teóricos e práticos relacionados às estereoscopias de radar e híbrida (VIR - Visible – Infra Red x SAR - Synthetic Aperture Radar) e suas performances para o mapeamento geológico na região Amazônica. Estéreo – pares Standard-RADARSAT-1 (S5D x S7D) e híbrido Standard-RADARSAT-1/TM-Landsat-5 (S7D x TM4) foram avaliados visualmente objetivando o mapeamento geológico na Província Mineral de Carajás. O estéreo-par SAR mostrou grandes diferenças em propriedades radiométricas e geométricas, quando comparado ao estéreo-par VIR x SAR. O estudo também demonstrou que essas diferenças desempenham um importante papel na obtenção de informações geológicas, e confirmou, ainda, que o conhecimento prévio em SAR e radargrametria é fundamental na composição e interpretação dos estéreo – pares SAR e híbrido. A pesquisa indicou uma maior potencialidade aos produtos VIR x SAR, quando comparados à estereoscopia SAR. A natureza complementar das informações fornecidas pelos sensores, em regiões distintas do espectro eletromagnético, foi a causa fundamental da melhor performance do estéreo – par híbrido.

Palavras-chave


Sensoriamento remoto geológico; Estereoscopias de radar e híbrida; Província Mineral de Carajás.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.