THE EARLIEST OSTRACODA RECORD FROM BRAZIL: VILA MARIA FORMATION, RIO IVAÍ GROUP, PARANÁ BASIN, CENTRAL BRAZIL

RODRIGO RODRIGUES ADÔRNO, DERMEVAL APARECIDO DO CARMO, MARIA JOSE SALAS, CAROLINA ZABINI, MARIO LUIS ASSINE

Resumo


Duas espécies de Ostracoda têm ocorrências inéditas descritas a partir da seção-tipo suplementar da Formação Vila Maria, seção que tem 30 m de espessura, localizada na borda norte da Bacia do Paraná. A Formação Vila Maria está posicionada no limite Ordoviciano Superior-Siluriano inferior da Bacia do Paraná na região de Bom Jardim de Goiás, Estado de Goiás, Brasil central. As novas espécies descritas representam a ocorrência mais antiga de Ostracoda de estratos brasileiros. Moldes internos e externos de valvas isoladas são abundantes na porção basal da seção-tipo suplementar da Formação Vila Maria. Este intervalo é constituído por folhelhos pretos representando a transgressão marinha pós-glacial, sobrepostos aos diamictitos da Formação Iapó, que representa a sequência glacial do Neordoviciano na Bacia do Paraná. A reconstrução paleogeográfica indica que a deposição da porção basal da Formação Vila Maria ocorreu sob condições de altas latitudes e águas frias na margem de Gondwana, onde atualmente se localiza a América do Sul, sob condições semelhantes àquelas das Formações Djeffara na Bacia de Ghadames e Tichitt Group na Bacia do Taoudeni onde atualmente se localiza a porção norte da África.

Palavras-chave


Ostracoda; Ordoviciano; Bacia do Paraná.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.4072/rbp.2016.3.03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country RankSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar