HISTORIA AMBIENTAL DE LA LAGUNA SECA, TARTAGAL SALTA, NOROESTE ARGENTINO

PAMELA TATIANA FIERRO, JULIO JOSE KULEMEYER, LILIANA CONCEPCIÓN LUPO, SANTIAGO GIRALT

Resumo


São apresentados os resultados de uma pesquisa interdisciplinar sobre a história da paisagem na Serrania de Tartagal, Salta, para o período de 1959-2012 AD. Estudos de alta resolução temporal incluindo geoquímica, mineralogia e palinologia foram realizados em sedimentos de um testemunho da Laguna Seca (22°21’1,81”S, 63°52’10,90”O). As datações mostram que o registo sedimentar compreendem um total de 53 anos. Os sedimentos são compostos de argila avermelhada maciça e silte, com intercalações de argilas ricas em matéria orgânica e macro-restos vegetais fibrosos na base. A presença de quartzo, ilita e clinoclorita é destacada; os componentes geoquímicos mais importantes são Al, Si e K. A análise de redundância indica que a maioria dos elementos químicos estão associados com minerais terrígenos (quartzo, albita e ilita). Os tipos polínicos encontrados correspondem à Floresta de Yungas como Alnus acuminata, Anadenanthera colubrina, Celtis sp. e Schinus sp. Os resultados de geoquímica, mineralogia e palinologia são consistentes com a precipitação anual em Tartagal nas últimas décadas e refletem uma correlação com os fenômenos das inundações e deslizamentos de terra na região montanhosa de Tartagal. A integração de dados multiproxis gerou as bases para reconstruir as mudanças na vegetação, clima e história de perturbação antrópica durante o Holoceno nas Serras Subandinas do noroeste argentino.

Palavras-chave


Reconstrução histórica; Multiproxis; Holoceno superior; Eventos catastróficos; Yungas.

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.4072/rbp.2016.2.14

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country RankSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar