PROVÍNCIA DIAMANTÍFERA DA SERRA DA CANASTRA E O KIMBERLITO CANASTRA-1: PRIMEIRA FONTE PRIMÁRIA DE DIAMANTES ECONOMICAMENTE VIÁVEL DO PAÍS

Mario Luiz de Sá Carneiro CHAVES, Kerley Wanderson ANDRADE, Leila BENITEZ, Paulo Roberto Gomes BRANDÃO

Resumo


A Província da Serra da Canastra constitui uma das quatro grandes províncias diamantíferas de Minas Gerais, que foi subdividida em dois distritos minerais, designados de Alto São Francisco e Médio Rio Grande. Rochas kimberlíticas e parentais, com idades estimadas em torno de 120 Ma, intrudem principalmente metassedimentos mesoproterozóicos(?) atribuídos ao Grupo Canastra, no Distrito do Alto São Francisco. No Distrito do Médio Rio Grande, a principal fonte distribuidora do mineral, secundária, está em rochas conglomeráticas do Cretáceo Superior da borda norte da Bacia do Paraná (Grupo Bauru), cuja área-fonte de sedimentação inclui a zona da Canastra. O kimberlito Canastra-1 integra um cluster com quase 40 corpos, aflorando a sul do grande escarpamento da Serra da Canastra, na zona de cabeceiras do Rio São Francisco. A intrusão se dá em forma dois blows alinhados segundo NW-SE, direção que define o trend estrutural da região, impresso nos metassedimentos do Grupo Canastra. O blow menor (NW) possui teores desprezíveis em diamantes, enquanto o outro (SE) é mineralizado a um teor médio de 12-18 ct/100 t de rocha. Variações importantes são verificadas ainda em relação às fácies petrográficas do kimberlito, que é homogênea no blowNW, enquanto o blow SE é heterogêneo constituindo uma mistura de diversas fácies. A química mineral do piropo, ilmenita e diopsídio, revelou alguma semelhança com determinados kimberlitos diamantíferos da África, principalmente aqueles do Cráton do Oeste Africano. Dados obtidos em lavra experimental efetuada pela SAMSUL Mineração indicaram uma qualidade excelente para os diamantes do corpo, estimando-se um valor médio em torno de US$ 180- 200/ct, o que constitui um dos maiores de todo mundo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank