ANOMALIA NATURAL DE BÁRIO, FLÚOR E ENXOFRE EM ROCHAS SEDIMENTARES DA FORMAÇÃO TREMEMBÉ, BACIA DE TAUBATÉ (SP, BRASIL)

Alethéa Ernandes Martins SALLUN, Hélio Nóbile DINIZ

Resumo


Diversos estudos realizados na Bacia de Taubaté versaram a origem de sua formação tectônica, os processos de sedimentação e cartografia das unidades estratigráficas. Porém, poucos estudos foram realizados com os depósitos sedimentares de subsuperfície da Formação Tremembé. Neste estudo são apresentados dados geoquímicos desses sedimentos para melhor reconhecimento geológico da região do Vale do Paraíba, São Paulo. Não foram encontradas evidências de empobrecimento ou enriquecimento dos elementos da base para o topo do testemunho, e a correlação entre a concentração dos elementos somente foi identificada quando ocorrem mudanças de litologia. Os elementos Ce, Cu, La, Rb, Th, U, Zr, F e S apresentam valores de concentração bem diferentes da base para o topo, sobressaindo-se em relação aos demais elementos analisados, podendo indicar variações das condições paleoambientais durante os processos sedimentares. As concentrações obtidas para os sedimentos, no geral, não apresentaram valores superiores ao valor de referência de qualidade. Foram identificadas anomalias ambientais naturais nas concentrações dos elementos bário, flúor e enxofre nos sedimentos da Formação Tremembé – indicando que deve haver restrições conservadoras de uso e ocupação na área. Novos estudos devem ser realizados para entendimento da dinâmica geoquímica destes elementos no meio ambiente, visando a proteção da saúde humana e da biodiversidade.

Palavras-chave


Bário; Flúor; Enxofre; Formação Tremembé; Bacia de Taubaté.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank