O MEGAVEIO DE QUARTZO DA SERRA DA CATINGA (DATAS/GOUVEIA, MG)

Mario Luiz de Sá Carneiro Chaves

Resumo


Descreve-se neste trabalho um veio de quartzo de proporções gigantescas, que ocorre na região da Serra da Catinga, integrante da Serra do Espinhaço Meridional. O megaveio, minerado para quartzo metalúrgico nos últimos vinte anos, possui dimensões aproximadas de 1,7 km de comprimento e 30 m de espessura máxima. Em menor escala, dois conjuntos principais de veios representam
os prováveis condutos de migração e áreas de precipitação da sílica. O conjunto mais importante posiciona-se de modo concordante com
a foliação da rocha hospedeira, de direção aproximada norte-sul, com mergulhos médios a altos para leste, enquanto o outro conjunto é coaxial mas discordante com a primeira, possuindo mergulhos altos para oeste. O megaveio possui um zoneamento típico, dado pelo aumento na densidade de veios a partir das rochas encaixantes em direção ao centro do corpo. Tais encaixantes constituem metassedimentos paleo a mesoproterozóicos do Supergrupo Espinhaço (Formação Sopa-Brumadinho), na zona de contato com rochas gnáissicas e xistosas
do embasamento arqueano. A origem dos fluidos está relacionada a soluções hidrotermais que foram geradas durante o evento orogenético
Brasiliano (~625-540 Ma), em período tardi- a pós-tectônico.

Palavras-chave: Quartzo, veios, deformação, Serra do Espinhaço.

Palavras-chave


Quartzo, veios, deformação, Serra do Espinhaço.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank