Caracterização dos contaminantes do minério de ferro do depósito mineral da Serra do Sapo, Conceição do Mato Dentro, Minas Gerais

Fernando Prudencio Morais, Rosaline Cristina Figueiredo e Silva, Carlos Alberto Rosiére, Geraldo Sarquis Dias

Resumo


Os itabiritos do depósito mineral da Serra do Sapo estão localizados na região da Serra do Espinhaço Meridional e são descritos como parte da Formação Serra do Sapo, unidade superior do Grupo Serra da Serpentina, e estão sobrepostos aos xistos e aos filitos da Formação Meloso. Formações ferríferas com alto teor de Al e P ocorrem no contato com metassedimentos da unidade basal. Esses contatos são transicionais e geram uma rocha bandada, com níveis milimétricos a centimétricos contendo grande concentração de óxido de ferro. Essa litologia tem textura sedosa e ocorre sempre decomposta, sendo descrita como hematita-quartzo-mica xistos ou classificada como itabirito com alto teor de contaminantes (IFX). A classificação dos itabiritos é feita de acordo com o grau de decomposição intempérica da rocha. Formações ferríferas bandadas classificadas como itabiritos (IT), rocha sã, e que também apresentam altos teores de P como contaminante, são classificadas como itabirito com alto teor de fósforo (ITX). Estudos petrográficos identificaram muscovita, clorita e gibbsita como as principais fontes de Al para as amostras de IFX. Os altos teores de Al2 O3 e P2 O5 desses litotipos também são explicados pelo processo de formação supergênica, em que o espaço dos minerais lixiviados é preenchido por clorita e gibbsita. Para o ITX, os altos teores de P estão relacionados com minerais de apatita que ocorrem com maior frequência nesse litotipo. Dados geoquímicos de rocha total, quando normalizados ao Pos-Archean Australian Shale (PAAS), mostram que as amostras de IFX são enriquecidas em elementos terras raras leves (ETRL) se comparadas aos outros itabiritos. Essas amostras também são enriquecidas em elementos móveis como Ba e Sr. Isso indica que o enriquecimento é em razão da mobilidade dos ETRL em um ambiente intemperizado sem elementos terras raras pesados (ETRP).


Palavras-chave


Formação ferrífera; Serra do Sapo; Geoquímica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v20-148728

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank