Aeromagnetometria e aerogamaespectrometria do Complexo Atuba e arredores, leste do estado do Paraná

Michelangelo Tissi Baldin, Eduardo Salamuni, Luís Gustavo de Castro

Resumo


As rochas do Complexo Atuba afloram na porção leste do Estado do Paraná e compreendem a região sul do Cinturão Ribeira. Situam-se a norte do Terreno Luís Alves e estão enquadradas no Terreno Curitiba. O objetivo desta pesquisa foi definir as unidades geológicas e o arcabouço estrutural da área de trabalho, junto ao mapeamento de falhas, fraturas e diques. A pesquisa foi desenvolvida por meio de aeromagnetometria e aerogamaespectrometria. A primeira permitiu interpretar os traçados de lineamentos e estabelecer o arcabouço estrutural da área de estudo, porém não conseguiu separar de forma definida o Complexo Atuba do Grupo Açungui. As grandes zonas de cisalhamento definidas pela Zona de Cisalhamento (ZC) Lancinha-Cubatão e ZC Curitiba estão encobertas e mascaradas pelos diques básicos mesozoicos. Os lineamentos com direção NE-SW são escassos e correspondem às falhas e às fraturas observadas principalmente no domínio do Complexo Atuba e da Bacia Sedimentar de Curitiba. As orientações NW-SE aparecem em grande proporção e estão relacionadas às falhas e aos diques. O método gamaespectrométrico possibilitou observar a dispersão dos elementos K, Th e U, caracterizando as unidades litológicas e detectando a presença de intrusões ígneas. De acordo com esse método, foi possível identificar quatro domínios diferentes, formados pelo Complexo Atuba, pela Formação Capiru, pela Formação Guabirotuba e por granitos neoproterozoicos.


Palavras-chave


Terreno Curitiba; Aeromagnetometria; Método gamaespectrométrico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v20-161896

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank