IMAGENS SENTINEL-2A E ESPECTRORRADIOMETRIA APLICADA A ESTUDO DE PASTAGENS DEGRADADAS

ERLI PINTO DOS SANTOS, TAÍSE BOMFIM DE JESUS, AYALA DE SOUZA REIS CARNEIRO, ROSANGELA LEAL SANTOS, ROBSON ARGOLO DOS SANTOS

Resumo


Este estudo tem como objetivo distinguir, nos dados de sensoriamento remoto, pastagens com diferentes estádios de conservação utilizando análise laboratorial, imagens orbitais e a espectrorradiometria de campo, comparando os métodos de campo e laboratório. Foram estudadas duas áreas de pastagem cultivada com Brachiaria decumbens, a área 1 sem degradação e a área 2, degradada. O sensor orbital escolhido foi o Sentinel-2A MSI, e suas imagens foram usadas na estimativa do índice de área foliar (IAF) e na obtenção da refletância dos dosséis, bem como usando um espectrorradiômetro de campo. O teor de clorofila foi quantificado, onde a área degradada apresentou menores valores, denotando baixo vigor. O computo do IAF foi eficiente na separação da área degradada, que apresentou menor IAF, entretanto os dados de reflectância por satélite não resultaram como esperado, pois a área degradada refletiu menos energia no vermelho, contudo o reconhecimento de padrões de cobertura foi observado principalmente na área sem degradação. Os teores de clorofila nos dosséis foram comparados com a reflectância obtida com espectrorradiômetro em campo, e nos gráficos de reflectância apresentaram feições características. No entanto, os espectros de reflectância foram mais bem analisados após aplicação das técnicas de extração de informações, nas quais a derivada espectral e a remoção do contínuo foram eficientes para diferenciar as áreas, confrontando com os dados químicos.


Palavras-chave


Sensoriamento remoto hiperespectral; Clorofila-a; Brachiaria decumbens; Reflectância.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2018_2_141_151

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank