IDADES DE RESFRIAMENTO 40AR/39AR DA FAIXA MÓVEL PARAGUAI NA REGIÃO DE NOVA XAVANTINA (MT): IMPLICAÇÕES TECTÔNICAS PARA A COLAGEM DO GONDWANA OCIDENTAL

MAURO CÉSAR GERALDES, ANDERSON COSTA DOS SANTOS, WERLEM HOLANDA DOS SANTOS, COLOMBO TASSINARI

Resumo


A análise 40Ar/39Ar foi realizada em cristais de biotita das rochas do Cinturão Paraguai na região de Nova Xavantina (Mato Grosso, Brasil) com o objetivo de compreender a idade do evento metamórfico regional. As amostras são rochas máficas meta-vulcânicas deformadas durante eventos Brasiliano-Panafricano. As idades plateau 40Ar/39 variam de 541,6 ± 0,4 Ma para 531 ± 0,6 Ma e definem o período de resfriamento do evento metamórfico regional relacionado à colisão entre o Cráton Amazônico e o Bloco Paranapanema durante os estágios finais da montagem ocidental do Gondwana. A associação do Cinturão Paraguai que se destaca nesta região compreende as rochas sedimentares metamorfisadas (químicas e siliciclásticas) e vulcânicas (básicas e intermediárias) relacionadas ao ambiente geológico do assoalho oceânico (Oceano Xavantina). Este trabalho apresenta duas novas idades para dois grãos de biotita comparando-os com dados da literatura sugerindo que os dados 40Ar/39 aqui relatados, além de evidências geológicas, indicam que as rochas metabásicas apresentam estágios metamórficos no intervalo de 541 Ma e 531 Ma e seus protólitos apresentam idades em torno de 700- 648 Ma ou mais.


Palavras-chave


40Ar/39Ar; Metamorfismo; Cinturão Paraguai; Gondwana ocidental.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.11137/2018_3_351_362

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SCImago Journal & Country Rank