PERFIS DE RESISTIVIDADE AMT: CONTRIBUIÇÃO AO RECONHECIMENTO ESTRUTURAL DA BORDA SUDESTE DA BACIA DO PARNAÍBA

ÍCARO VITORELLO, ANTONIO L. PADILHA

Resumo


Dados de resistividade de 105 sondagens audiomagnetotelúricas (AMT) são utilizados para compor onze perfis geoelétricos entre as cidades de Floriano e Jaicos, no sudeste do Piaui. Com base em uma análise preliminar de inversões unidimensionais e na comparação das camadas elétricas com dados de um furo estratigráfico e com dados geológicos, a profundidade e a espessura de camadas resistivás e condutivás são definidas e tentativamente relacionadas a unidades litológicas sedimentares e ao embasamento. Apesar das limitações inerentes ao método, camadas com leve mergulho, sinclinais e anticlinais, são observadas e seguidas a profundidades de 500 e muitas vezes até 1.000 m. Outras estruturas geológicas, como falhas, horst e grábens, são também inferidas a partir das sondagens. Apesar de estruturas condutores subverticais e heterogeneidades laterais de condutividade parecerem afetar as interpretações baseadas em modelos de camadas horizontais, os perfis indicam uma borda de bacia altamente estruturada. Conseqüentemente, o afinamento lateral do pacote sedimentar em direção à presente borda pode ser aparente, estando na realidade associado a atividades tectônicas que resultariam em dobramentos e falhamentos. Evidências geoelétricas que sugerem importante movimentação vertical são observadas nas proximidades das cidades de Floriano, Nazaré, Oeiras e Picos.

Palavras-chave


Sondagens audiomagnetotelúricas; Bacia do Parnaiba; Perfis geoelétricos; Métodos geofisicos; Reconhecimento geofisico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.