MoAND Zn MINERALlZATIONS RELATED TO GRANITES IN CALDERA ROOTS IN THE ELSJAE-AREA, OSLO PALEORIFT, NORWAY

SVEIN OLERUD

Resumo


O Paleo-rifte de Oslo, desenvolvido no embasamento proterozóico na região Sudeste da Noruega e no Permiano do mar Skagerak, representa uma das unidades do extenso sistema de elementos tafrogênicos que ocorrem na margem do Escudo Báltico. Compõe-se de rochas ígneas alcalinas de idade permiana e de rochas sedimentares cambro-silurianas. Os tipos de mineralizações epigenéticas mais proeminentes são: A. depósito de Mo intramagmático; B. depósitos metassomáticos de contato (Zn, Pb, Fe etc.); e C. depósitos em margem de riftes (Ag etc.). A área de Elsjae apresenta bons exemplos dos tipos A e B. A região de Elsjae situa-se na porção norte do paleo-rifte, na zona de interseção entre duas estruturas de caldeiras profundamente erodidas. Cerca de 2 km2 de folhelhos e calcários cambro-ordovicianos jazem encaixados nas intrusivas permianas. Os sedimentos mostram metamorfismo de contato e alteração por processos metassomáticos. A mineralização de esfalerita encontra-se em camadas e lentes carbonáticas escarnitizadas, e em vários níveis dos sedimentos cambro-ordovicianos transformados em hornfelses. Subjacentes à área de Elsjae há granitos permianos hidroterminalizados e brechados, e portam mineralízação de baixo teor de molibdenita nas zonas com predomínio da alteração quartzo-sericita-pirita. Evidências de campo indicam que os escarnitos mineralizados com Zn se relacionam ao Granito Storaeyungen, o qual é mais antigo que o sistema de diques anelares das caldeiras, enquanto a mineralização de Mo se formou nos estádios tardios do desenvolvimento das caldeiras.

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.