COMPORTAMENTO FÍSICO–QUÍMICO DO BERILO A ALTAS TEMPERATURAS

GABRIEL DE OLIVEIRA POLLI, ANTÔNIO CLARET SOARES SABIONI, ANA CLAÚDIA MOUSINHO FERREIRA, JEAN-MARIE DEREPPE, HUBERT MATHIAS PETER ROESER

Resumo


O tratamento térmico é amplamente utilizado em variedades de berilo com o objetivo de melhorar ou modificar a cor natural e, portanto, agregar valor ao mineral-gema. Na aplicação do tratamento térmico deve-se levar em consideração mudanças cristaloquímicas do mineral, de modo a não produzir modificações indesejáveis e irreversíveis. Foram investigadas propriedades físico–químicas de 383 amostras de berilo amarelo, azul, incolor, rosa e verde, provenientes de 16 depósitos de MG, PB, RN e CE, das quais 239 amostras coloridas e incolores foram submetidas a tratamento térmico e 2 incolores a tratamento termoquímico ou por difusão. Mudança e/ou uniformização da cor foram possíveis nos ensaios térmicos. Até temperaturas de 800ºC ou 900ºC aproximadamente, dependendo da variedade e/ou depósito, as amostras de berilo mantêm as suas composições químicas e propriedades físicas macroscopicamente inalteradas. Entretanto, a partir dessas temperaturas e/ou com tempos de tratamentos prolongados, ocorreu uma possível transformação de fase do berilo, que se torna branco e translúcido, com aspecto de porcelana.

Palavras-chave


Berilo; Água-marinha; Goshenita; Heliodoro; Morganita; Mineral-gema; Gema; Tratamento térmico; Tratamento termoquímico; Difusão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.