FENÔMENOS DE ORDEM-DESORDEM LOCAL EM TURMALINAS NATURAIS E TRATADAS DA SÉRIE SCHORLITA-ELBAÍTA

CRISTIANE CASTAÑEDA, SIGRID GRIET EECKHOUT, EDDY DE GRAVE, NILSON FRANCISQUINI BOTELHO, ANTÔNIO CARLOS PEDROSA SOARES

Resumo


Análises de Fe-turmalinas provenientes de pegmatitos graníticos foram feitas usando microssonda eletrônica, ressonância paramagnética eletrônica e espectroscopia Mössbauer. A caracterização química indica que todas as amostras são espécies próximas da schorlita. Os espectros de ressonância paramagnética eletrônica indicam alta concentração de ferro com linhas largas de aproximadamente 1000 Gauss, diagnosticando interações spin-spin e desordem estrutural. Espectros Mössbauer à temperatura ambiente de schorlitas verdes naturais apresentam contribuição de dois Fe2+ em sítios Y não equivalentes enquanto nos espectros das azuis, três sítios Y podem ser observados. Esses aspectos registram um maior grau de desordem nas amostras de cor azul e um menor grau, nas verdes. Durante o aquecimento em ambientes oxidante e redutor, observa-se reajuste estrutural dos sítios do Fe2+, processos de desidroxilação e oxidação e a geração de uma fase mineral adicional.

Palavras-chave


Turmalina; Espectro Mössabuer; Ordem-desordem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.